ARTIGOS E ENTREVISTAS
As técnicas do Aikido.
MOKUSO (Concentração)

As técnicas do Aikido começam com Mokuso, a concentração com o praticante sentado em Seisa. Deve-se fechar os olhos e tentar não pensar em nada em particular ficando atento a tudo o que se passa ao redor. É muito dificil para nós ocidentais fazer Mokuso, porque estamos tagarelando com nossa mente o tempo todo e estes pensamentos acabam por nos distrair e deixamos de
perceber coisas importantes que estejam acontecendo a nossa volta.

Assim, com a atitude mental correta, mantendo-se as costas retas e a cabeça ereta, relaxamos o corpo, colocando todas nossas energias no "Seika no Iten", o centro energético, que fica aproximadamente a 5cm abaixo do umbigo. Permanecemos nesta posição até percebermos que estamos unificados.

Em ilustrações pode-se observar claramente a essência da diferença entre o Japão e o Ocidente, enquanto o ocidental usa seu centro mental para tomar decisões, o oriental usa o centro abdominal integrado. Toda a cultura das duas formas de agir deriva essencialmente desta atitude.

No Aikido, procura-se realizar todas as técnicas com o mesmo sentimento interior de "Mokuso" esperando-se que esta atitude acabe por extender-se para todas as atividades da vida da pessoa.

KI WO DASU (Estender o KI)

Depois de termos sentido o estado de unificação em "Mokuso", passamos a fazer com que esta energia que está centrada no "Seika no Iten", flua para o exterior através dos braços e dedos.
Aprender a estender a energia, que flue do centro, é fundamental para se praticar Aikido corretamente. Esta é uma característica do Aikido; os braços se tornam fortes, porém flexíveis, ficando as articulações livres para se moverem de acordo com a necessidade da técnica.

TAI SABAKI

Existem muitas formas de se mover em Aikido, mas estas formas a seguir são as ensinadas no curso básico e são a base para a movimentação usada nas técnicas de Aikido.

KAMAE

o praticante de pé, com o sentimento de "Mokuso", coloca seu pé a frente, mantendo-se de frente, com "KI" fluindo pelos dedos e com a maior parte de seu peso no pé da frente. É importante esticar a perna traseira e apoiar-se sempre na parte dianteira da sola, jamais usando o calcanhar. O calcanhar quase que não toca o tatami. O objetivo desta postura é aumentar a estabilidade e permitir girar o corpo rapidamente quando necessário. Os pés ficam em ângulo de 90 graus e o da frente fica um pouco aberto (em ângulo), com a linha de ataque.

TENKAI ASHI

Literalmente, Tenkai Ashi significa um movimento de pivô sobre os pés, ficando de frente ou de costas com um rápido giro do corpo no mesmo lugar. É importante girar sobre a bola do pé, do lado do dedão, e não sobre os calcanhares. Isso evita o atrito, o desequilíbrio e o atraso na execução do Tai Sabaki.

GO HO TENKAN

É um movimento circular, no qual o aikidoísta, estando na mesma linha do ataque, faz um giro sobre o pé dianteiro e fica ao lado do atacante. Para facilitar este movimento, o aikidoísta deve evitar deixar seu peso demasiadamente atrás e não girar sobre os calcanhares.

IRIMI TENKAN

Com um passo a frente, o aikidoísta avança (Irimi) e em seguida faz um giro sobre a perna dianteira (Tenkan). Logo, no Aikido, os movimentos de giro sempre são precedidos por uma entrada em Irimi. Em todas essas manobras de Tai Sabaki o peso deve ser mantido em baixo,
o quadril é que dá início ao movimento e jamais deve-se ficar em uma posição estática com os dois pés paralelos e os joelhos esticados.

Também deve-se evitar o peso distribuído em ambos os pés, pois o Aikido é uma arte de avanço e evasivas circulares com o intuito de lutar contra vários atacantes e isso exige extrema mobilidade. Há outros movimentos de Tai Sabaki mais avançados além destes três básicos que são ensinados no 5º Kyu, tais como o denominado Tenshin, o Tsuri-Ashi e o Ayume-Ashi.

SUARI WASA IRIMI TENKAN

No Aikido, além das técnicas efetuadas de pé, há também técnicas com o defensor estando sentado em Seiza e o atacante também sentado ou de pé (Handachi Wasa).
Suari Wasa é útil para fortalecer o quadril e os membros inferiores, além de facilitar o entendimento do Kihon por parte do iniciante que precisa movimentar o corpo de maneira correta e econômica para executar um golpe com energia. Suari Wasa pode ser considerada a luta de chão do Aikido e sua origem remonta ao período feudal japonês no qual o samurai devia permanecer sentado em Seiza na presença de superiores. Assim, adaptaram as técnicas em pé com o objetivo de defender-se estando na posição formal de joelhos, armados ou desarmados.
Para esta prática, inicialmente se aprende a andar de joelhos de uma forma eficiente e bonita chamada Shikkô (fig. 1) e em seguida fazendo Irimi-Tenkan (fig. 2) com os mesmos princípios que regem os movimentos em pé.

JUMBI TAISO e AIKI TAISO O AQUECIMENTO DO AIKIDO

Antes de iniciar a prática das técnicas, o aluno deve aquecer as articulações e regularizar sua respiração. Para uma aula básica de Aikido, foram selecionados alguns exercícios que auxiliarão o aluno a fortalecer seus pulsos, quadril e demais juntas. Negligenciar este aspecto pode levar a lesões e a uma má performance nas técnicas a médio prazo. Lembre-se, um bailarino aquece e alonga seu corpo por quase duas horas antes de um espetáculo e da sua estréia no palco, com o objetivo de prevenir um súbito estiramento ou um tombo não planejado capaz de machucá-lo ou ridicularizá-lo, arruinando a estética do show. No Aikido deve-se dar especial atenção ao aspecto do aquecimento e do alongamento, para só então, treinar com segurança, vigor e garra o Kihon.
A seguir alguns exercícios praticados no Instituto Takemussu com estes objetivos, visando também uma integração mente, emoção e corpo:

UKEMI A ARTE DE RECEBER A TÉCNICA

Após o aquecimento e o alongamento mencionado anteriomente, o aikidoísta deve prestar especial atenção às técnicas de queda, os Ukemis, imprescindíveis para a prática segura do Kihon.
Nos Dojos japoneses há um ditado: "Ukemi san nen" que significa "Ukemi leva três anos".
Cada praticante de Aikido pode e deve aprender Ukemi para que ele possa ser arremessado ou imobilizado sem se machucar. Aprender a se salvar de qualquer arremesso é um importante aspecto do treinamento do Aikido.
Para um bom Ukemi são necessários três importantes elementos:
1- Flexibilidade;
2- Determinação, sem imprudência e exibicionismo;
3- E por último e mais importante: entregar-se a si mesmo para seu parceiro, sem tensão, de forma relaxada e atenta para qualquer eventual mudança no movimento e na força aplicada.
Ao Nague, aquele que executa o arremesso e/ou a imobilização, deve-se prestar atenção à segurança do Uke, seguindo o movimento natural do seu corpo e emitindo apenas o poder necessário para concretizar o Kihon.
No Oriente, a maestria de um artista marcial é medida não apenas pelo seu potencial de ataque, mas também e principalmente, pela sua capacidade de defender-se usando somente a força e a energia mínima sem lesar seu(s) atacante(s) em ambos os casos.
A seguir, alguns tipos de quedas que são utilizadas dependendo da técnica executada no 5º Kyu.

MAE UKEMI - QUEDA PARA FRENTE

Usada nas técnicas de arremesso, quando o pulso ou o corpo não fica preso por Nague, como Kaiten Nague, Ude Kime Nague e algumas técnicas de Kokyu Nague e similares. Este Ukemi é um dos mais importantes e mais usado na prática diária e consiste em amortecer a queda transformando o próprio corpo em uma "esfera". Como as demais quedas, esta exige bastante treino e jamais deve ser negligenciada, cabendo ao praticante treiná-las sozinho e depois com um parceiro a cada aula.

USHIRO UKEMI - QUEDA PARA TRÁS

Usada nas técnicas de Tenchi Nague, Sumi Otoshi, Shiho Nague, Kotegaeshi e similares. Quase sempre é utilizada quando Nague dirige o Uke diretamente de costas contra o tatami e não há espaço para rolar e se levantar atrás, ou quando o Uke é segurado.

USHIRO KAITEN UKEMI - QUEDA PARA TRÁS ROLANDO

Ukemi bastante útil para amortecer um arremesso quando o Nague derruba o Uke de costas, aplicando uma força mais horizontal e deixando-o livre para rolar. Obviamente este Ukemi requer espaço para se efetuar o rolamento. Esta queda pode ser usada em todas as técnicas anteriores para Ushiro Ukemi, desde que Uke fique livre, mas principalmente em Irimi Nague, Kokyu Nague e Mussubi No Keiko, sendo uma espécie de Mae Kaiten Ukemi invertido, com o mesmo princípio de transformar o corpo em uma bola.

Para a perfeição de uma técnica não basta a vitalidade e a eficiência do Nague, cabe ao receptor, o Uke, proteger-se devidamente com o ataque e a queda corretos. Além destas quedas básicas que são ensinadas no 5º Kyu, há várias outras mais avançadas como o Ushiro Otoshi Ukemi, Yoko Ukemi, Ushiro Otoshi Kaiten Ukemi, Zempo Kaiten Ukemi, Mae Ukemi Henka Waza, Ushiro Ukemi Henka Waza e salto com quedas sobre barreiras.

Todas as quedas e rolamentos devem continuar com o Uke se colocando de pé o mais rapidamente possível e sempre olhando para o Nague, pois no Aikido uma das estratégias de lutar contra vários atacantes consiste em arremessar um contra o outro.

Logo, a arte de receber Ukemi é uma das grandes lições que o Aikido nos ensina, pois a maioria dos grandes Shihans foram durante toda sua juventude Ukes frequentes de O Sensei e sabem tanto aplicar como absorver a força de um golpe, de uma ofensa ou de um revés na Vida. Dificilmente alguém será bom Nague se não for bom Uke.

Por isso os japoneses dizem:
"Cair nove vezes e levantar dez"

Wagner Bull


 

 

 

 

 

 

 

 

 

Copyright © 1996 Instituto Takemussu Brazil Aikikai.